Bruno Vianna

Ressaca

Um longa-metragem. Um quebra-cabeça. Um jogo de amarelinha. Ressaca é um longa-metragem no limite entre o cinema e o espetáculo ao vivo, partindo do ponto em que param os VJs que fazemperformances ao som de música eletrônica com vídeos pré-gravados. Ressaca conta a história de um rapaz que passa pela puberdade e adolescência nos anos 80, vivendo o período em que o país também passava por uma adolescência política e econômica. Sua família vai sofrer as conseqüências da pletora de planos econômicos, moedas e crises. Ressaca tem uma interface para edição desenvolvida especialmente para o filme, chamada Engrenagem. Ela foi desenvolvida com o apoio do Centro de Artes Hangar, em Barcelona, e foi projeto final de Maíra Sala no mestrado em Artes Digitais na Universidade Pompeu Fabra,onde teve o apoio da equipe que desenvolveu a Reactable, interface de síntese musical usada por Björk e outros artistas em apresentações ao vivo. Engrenagem consiste em uma tela tátil que permite movimentar os elementos do filme com os dedos. Como a tela tem um metro de diâmetro e fica posicionada ao lado da tela principal do cinema, a platéia pode acompanhar todo o processo de edição. A interface criada permite a visualização de todo o material do filme e sua organização, através de links que definem a ordem das seqüências. Além disso, é possível manipular cada plano de cada seqüência, mudando sua posição no filme, e escolher o tipo de corte.

Bruno Vianna é cineasta formado pela Universidade Federal Fluminense, doutorando em Comunicação Audiovisual pela Universidade Autônoma de Barcelona. Realizou quatro curtas entre 1994 e 2003: Geraldo Voador, Rosa, Tudo Dominadoe Nevasca Tropical. Seus filmes foram exibidos e premiados em diversos festivais, como Gramado, Festival do Rio, Rotterdam, Tampere, Havana e Nova York. Em 2005, realizou seu primeiro longa-metragem, Cafuné, o primeiro filme brasileiro a ser lançado simultaneamente nos cinemas e na internet, com uma licença Creative Commons. Em 2007, apresentou o projeto Invisíveis, um espaço virtual narrativo em realidade aumentada para celulares, no festival Arte.mov em Belo Horizonte.

www.ressaca.net

© Live Cinema